quarta-feira, 12 de março de 2008

ESCOLINHA DO CRIME


Essa semana, uma hora qualquer no serviço, fazendo minha ronda virtual pelos melhores jornais e portais de informação, como faço diariamente quando me sobra, ou não, um tempinho livre, me pego lendo uma noticia que até agora não consegui fazer com que descesse por minha garganta. A manchete era “Menino de três anos preso com arma de fogo... os pais estão foragidos e serão acusados de...” Minha filha mais velha, Alanis, completa três anos dia quinze agora e não consigo imaginar um anjo desses, como a minha princesinha, empunhando um trinta e oito que aparentemente seria até pesado demais para sua condição de recém saída das fraldas. Mas a noticia estava lá e eu a estava lendo, e o pior é que o fato realmente ocorreu. Comparando com outras manchetes como “Aluna ateia fogo em estudante de quatorze anos em frente ao colégio” fico pensando o que será de minhas filhas, Alanis fará três e Sofia tem dois aninhos, no futuro próximo e infelizmente não promissor, creio que além de mim, vários pais andam preocupados com o futuro dos filhos, pois, não há mais garantias de uma vida saudável, pois a educação escolar somente já não dá garantias num mundo onde os pais jogam toda a responsabilidade da educação dos filhos nas mãos de profissionais desmotivados e desvalorizados pela sociedade, como se educar os filhos, fosse o pior trabalho possível, uma missão impossível, perante a qual todos lavam suas mãos. Temo o futuro que nasce de um presente onde ao caminhar tranquilamente pela rua voltando cansado do trabalho, me deparo com um lindo menininho com uma mão para trás e uma chupeta na boca, e ao me voltar para perguntar sobre seus pais, ele tira das costas um trinta e oito carregado e com a outra mão retira a chupeta da boquinha e apontando o revólver para mim diz em tom ameaçador: “Pedeu, tio, pedeu!

Peter Cabral

2 comentários:

Rogerinho do Mal disse...

E aí Peterson! Passei pra te deixar um abraço (e conhecer seu blogspot é claro! hehe). Até mais!

fatmsousa disse...

Olá!!! Peter,
Uauu!!! triste reportagem..
Hoje temos muito para entristecer..
a vida não tem o menor valor.. os valores estão extintos..
Tentamos nos refugiar em nossas redomas.. lutando solitários para fazer o que nos cabe.. enquanto uma multidão ainda não perceberam o abismo que encontra-se a nossa frente..
Parabéns pelo texto.. e por abrir o espaço para discursão..

Abraços..

Fátima