terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Medo do medo



Eu tenho medo,
Tenho medo do medo.
Pois o medo é o segredo do mal.
O medo da morte não permite viver.
O medo da vida só nos leva ao morrer.
O medo da dor é o que faz doer.
O medo do amor não o deixa nascer.
O medo do fogo é o que queima.
O medo do frio é o que congela.
O medo da queda é o que abre o abismo.
O medo do escuro é quem sopra a vela.
O medo da verdade é quem ouve a mentira.
O medo do perdido é quem não acha caminho.
O medo da coragem é que corre assustado...
E por tudo isso que o medo faz, é que eu tenho medo.
Eu tenho medo do medo.
E é só o medo do medo, que me faz lutar.
E quando eu temo a morte me proponho a morrer.
E quando eu temo a dor eu deixo o sangue correr.
E quando eu temo o fogo eu pulo na fogueira
E quando eu temo o frio deixo o queixo bater.
Se eu sinto medo do amor
Tudo o que eu faço é amar.
Se eu sinto medo do escuro,
Deixo meu olho fechar.
E se a verdade doer,
E se o fogo queimar,
E se o sangue escorrer,
E se o caminho se achar,
E se a coragem chorar
E o frio aquecer
E se a vida te amar
Ou se a morte jurar,
Que te espera viver...

Tudo o que quero dizer,
É que apenas o medo,
É o que devemos temer.

24/06/02

2 comentários:

Maria Regina de Souza disse...

O medo às vezes nos paralisa, às vezes nos empurra,não vamos, querendo ir, pois o desejo e o medo são amigos muito íntimos!
Um abraço
Adorei seu espaço de poesia.

Rosangela disse...

Maravilhosa a forma como você consegue traduzir o sentimento através da poesia. Parabéns.